sábado, 10 de novembro de 2007

zoltan: Simone e Milton Nascimento, Koncz Zsuzsa!

Estou triste por Zoltan Venekey. Ele ia ser Deus, mas resolveu morrer antes. Porque não esperou até a gente filmar a cena? Acho que não tava dando pra aguentar, mas pelo menos a gente ia ter um registro em vídeo, uma atuação dele. Eu ia dirigir um clipe em que ele ia ser Deus, e ia lutar contra Fernando Peres (no papel do Biscaiteiro do Amor). Ele tava deixando a barba crescer para isso. Ia ser o combate do século! Era um homem comum se rebelando contra um Deus vingativo e autoritário... a música é do Yanna Lee. Agora a filmagem teve que dar uma morgada. Se conseguir fazer o filme, será minha homenagem a Zoltan.


Eu estava tentando achar algo de música húngara pra oferecer a vocês, algo da terra natal de Zoltan. Me lembrei de uma cantora da Hungria que nem sei o pronunciar o nome, que ele conhecia também e gostava.... Koncz Zsuzsa, tem um link dela no Last.fm, mas eu não sei se dá pra ouvir, eu sou meio inexperiente com esse site. E parece que não tem as músicas que eu conheço. A gente ficava de trocar uns discos emprestados pra que eu aprendesse mais sobre música húngara, mas isso nunca aconteceu.







Mas lembrei também dum disco brasileiro que ele disse que era bom, e por isso eu comprei. Ele conhecia muito a música brasileira. Era o "Cigarra", de Simone em começo de carreira. Não botava a menor fé, mas o disco é legal, pô! Tem pelo menos duas músicas que eu gosto muito, "Cigarra" (Milton Nascimento e Ronaldo Bastos). E "Petúnia Resedá", de Gonzaguinha. Muito boas. Celebrações da vida....



PETÚNIA RESEDÁ
(Gozaga Junior)

Alô...Amigo velho, novo como vai, mas que prazer
Alô...Eu trago novidades das pessoas prá você
Por lá se canta ainda com a mesma emoção
Por lá se dança ainda ao som de um grande coração
A gente vai levando quer se queira, goste ou não
Pé na estrada, facão

Alô...Petunia Resedá já estou chegando em casa
Alô...Uma saudade imensa me queima, me arrasa
Eu gostaria que voce tivesse sempre em mente
Que é justamente nosso amor que me leva em frente
Por isso a cada dia um lugar bem diferente
Preciso conhecer e abraçar mais gente


É importante dar notícias
boca a boca, mão na mão
Por isso vou cantando pela estrada
aquela simples canção

Muito que andar por aí
Muito que viver por aí
Muito que aprender
Muito que aprontar
Por aí...



E aqui a performance de Milton e Simone cantando "Cigarra". Na maior felicidade, com carinho ...

4 comentários:

Andre Dib disse...

Germano, tenho a Kudja e esse disco da Simone em vinil. Desta última, gosto muito da faixa "Diga lá meu coração", de Gonzaguinha. É um disco único. Zoltan sabia o que é bom.

gr disse...

Pois então André! Num foi de tu mesmo que eu peguei emprestado a Kudja ?

Já o disco da Simone sumiu aqui em casa...

gr disse...

é louco lembrar o Zoltan com as músicas esperançosas como "Petúnia Resedá" e "Cigarrra"...

João Santana disse...

Ainda lembro com saudade do Zoltan... Conversávamos muito no laboratório de informática do CAC, sobre teologia e política.

Muita saudade mesmo.